Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa política de cookies.
10 respostas imaginárias sobre a educação
a vida em estado de sítio: 4

Foi notícia, entretanto, uma recomendação do ministério da educação em relação aos nossos filhos. Repartida por 10 conselhos:

  1. 1▫️ Garanta que o horário que a escola estabelece é cumprido;
  2. 2▫️ Pergunte, todos os dias, o que foi feito;
  3. 3▫️ Verifique se todos os trabalhos propostos são realizados;
  4. 4▫️ Ajude a identificar as dúvidas para colocar aos professores;
  5. 5▫️ Mantenha contacto com os professores e com os directores de turma;
  6. 6▫️ Lembre-se que os alunos não estão de férias;
  7. 7▫️ Aproveite os tempos livres, entre as aulas, para que haja leitura;
  8. 8▫️ Aproveite para visitarem museus e exposições virtuais;
  9. 9 ▫️Promova a prática de actividade física em casa;
  10. 10▫️ Quando não conseguir ajudar, peça ajuda. Colabore com a escola.

 

Respostas (imaginárias) dos pais aos conselhos (bem-intencionados!) do ministério da educação:

  1. 1▪️ Garanta, por favor, que sabe que estamos em teletrabalho - com todos os espaços a ser repartidos por todos e com meios informáticos que não chegam para todos - o que nem sempre nos deixa cumprir com os horários da escola, do nosso trabalho e da nossa família;
  2. 2▪️ Às vezes, não sabemos aquilo com que havemos de nos preocupar: se com tudo o que foi feito se com tudo o resto que foi pedido que se fizesse;
  3. 3▪️ Verificar se os trabalhos propostos foram realizados seria importante se, trabalhando a partir de casa, não acabássemos por trabalhar mais horas com menos regras e menos condições; se a quantidade de trabalhos por disciplina não fosse, muitas vezes, para além do razoável; e se nós, pais, fôssemos todos capazes de ajudar, como se espera;
  4. 4▪️ Ajudar a identificar as dúvidas com os professores é um bom conselho. Sobretudo uma delas, que se relaciona com o volume diário de trabalhos de algumas disciplinas;
  5. 5▪️ Manter o contacto com os professores será razoável. Se a escola mantiver o contacto com os pais e colaborar com eles. Em vez de só "impor" tarefas para que eles cumpram.
  6. 6▪️ Lembre-se que os nossos filhos, não estando em férias, não estão em aulas. Mas que os pais, não estando em férias, não são os seus professores.
  7. 7▪️ A leitura será a segunda proposta mais importante para preencher os tempos livres. Mas é indispensável, sim. A primeira, será inventar tempos livres.
  8. 8▪️ Visitar museus virtuais é um bom desafio. Se bem que não fique claro se, em vez de pais, não seremos, antes, "assistentes operacionais";
  9. 9▪️ Praticar actividade física num T2 de 70 m2, com móveis e 4 pessoas, faz do exercício diário uma proposta generosa. Mas uma actividade virtual. Para além disso, o mais difícil é mantermos os nossos filhos parados;
  10. 10▪️ Quando não conseguir ajudar, peça-nos, que nós ajudamos. Os pais entendem que o estado de emergência colocou os modelos da educação que temos em vigor em "estado de sítio". E compreendem o esforço (imenso!) de quem a dirige, das direcções das escolas e dos seus professores. Mas só pedem que se definam medidas que sejam razoáveis para todos. E colabore mais com os pais. Para conseguirmos colaborar melhor com a escola.
subscreva