Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa política de cookies.
Carta aos alunos!
a vida em estado de sítio: 33

Todos nós temos elogiado os teus pais, pela forma inacreditável e incansável como se desdobraram em actividades durante o confinamento a que fomos obrigados. E os teus professores porque, recorrendo a tudo o que tinham à mão, continuaram a chegar até ti, não desistindo do seu compromisso para contigo. Mas talvez nos tenhamos "esquecido" um bocadinho de ti e dos teus amigos e colegas. E vocês são incríveis!

Incríveis na forma como ajudaram a vossa família. E no modo como ficaram aquém de todos os “alarmes” que nós “acendemos”, supondo que vocês, fechados, ficariam "eléctricos". E "impossíveis"!
Incríveis, porque reagiram duma forma estrondosamente madura quando, de um dia para o outro, ficaram sem professores.
Incríveis na forma como aceitaram os formatos mais distintos de ajuda que eles colocaram à vossa disposição.
Incríveis quando aceitaram a “telescola” e as aulas à distância, a concorrerem umas com as outras. Com as duas a pedirem-vos trabalho. E teletrabalho.
Incríveis porque, mesmo não tendo os vossos pais querido para vós o ensino à distância, vocês e eles o assumiram como vosso. E não abandonaram a escola. E  vão às aulas.
Incríveis porque teriam todos os motivos para protestar, em nome da desigualdade de oportunidades que se aprofundaram entre vós. E contra os formatos de ensino e de avaliação que vêm a ser experimentados convosco. E, ao contrário, vocês (não concordando com muitas coisas) tentaram corresponder-lhes.
Incríveis porque aceitaram as condições que as escolas conseguiram para o vosso regresso. Mesmo que tenham dificuldades tremendas para vos dar todos os professores e as condições indispensáveis a que vocês têm direito. E que vos queiram sem recreios!
Incríveis porque vocês sabem que "Explicar a um filho que tem de usar máscara e lavar as mãos é simples. Mas dizer-lhe que não pode ser criança é que nos está a assustar”*. E vocês, todavia, compreendem-nos e não desistem!
E incríveis porque a vossa atitude nos recorda, todos os dias, que quem nunca abandonou a escola não pode, nunca, ser abandonado por ela!
Vocês são incríveis! E é um orgulho que sejam assim.

 

Artigo publicado originalmente em 

* retirado a um comentário do Artur S. a quem agradeço!

subscreva