Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa política de cookies.
Os monstros nunca tocam à campainha
Pois não?!

- Sabes, aqui nada nem ninguém te faz mal...
- Não?!…
- Porquê?!
- Porque eu não deixo. Tu não sabes, mas eu sou um bocadinho super-herói... E, ao pé de mim, nada nem ninguém te magoa. Que eu não deixo!
- Nem os monstros?!...
- Nem os monstros!
(Pela primeira vez a movimentar-se mais à vontade...)
Também... os monstros nunca tocam à campainha. (Hesitou...) Pois não?...

Não, Gabriel. Na verdade, não tocam. Entram-nos pela casa dentro. E, pior que tudo, entram de mansinho. Sem ninguém dar por nada. E pregam-nos (aos) sustos. Prendem-nos neles. Sem nós percebermos porque nos fazem mal. E fazem um "RRHRHRHRHRH!!!!!!!", muito baixinho, que ninguém ouve. Mas que assusta. Mesmo quando dizem que gostam de nós.

Eu acho que vais achar aquilo que te vou dizer mais ou menos esquisito. Mas os monstros são uns assustados. Não conseguem perceber que haja crianças que não vivam a medo. Ou que acreditem que a mãe e o pai as guardam de todos os medos. E como ficam cheios de assombrações, com tanta bondade, zás: metem medo! Na verdade, tentam meter medo ao medo... deles, Gabriel. E apanham-nos a nós - de surpresa - com os seus medos. É mais isso. Não é bem com os monstros que nos assustamos! É mais com os medos deles que parecem ficar à solta, dentro de nós. A fazer "RRHRH!!!", baixinho, a tudo aquilo que somos.

Eu acho que os monstros gostavam muito que nós andássemos todos a fazer "RRHRH!!!" uns para os outros. Mas os medos têm um truque. Vou-te dizer como tudo funciona... As pessoas que nos guardam dos monstros, nem nos perguntam porque é que temos medo. Abrem-nos os braços, como se estivessem à espera deles. E não dizem nada. Nem: "Não tenhas medo!". Acreditas?... Nada! O segredo é que, mesmo quando lhes fazemos "RRHRH!!!", elas nos aconchegam. E abafam os medos. Eu acho que nós só somos como somos porque elas passaram a vida toda a guardar os nossos "RRHRH!!!". É isso, Gabriel, que faz com tu sejas diferente dos monstros. Fixe; não é?…

O segredo é que, mesmo quando lhes fazemos "RRHRH!!!", elas nos aconchegam. E abafam os medos. Eu acho que nós só somos como somos porque elas passaram a vida toda a guardar-nos dos nossos "RRHRH!!!". Sim, acho que é isso, Gabriel. Fixe; não é?… E, realmente, tens razão (!) “os monstros nunca tocam à campaínha.

subscreva