Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa política de cookies.
E se se vai de férias com uma relação por resolver?
Todos nos separamos quase sem dar por isso

Muitos de nós vamos de férias com relações por resolver. Talvez, no fundo, elas já estejam resolvidas. Mas precisam de ser muito faladas; muitas vezes. E as férias têm o tempo que nos falta quase sempre. Mas as crianças vão de férias, também. E, depois, há alguns familiares e meia dúzia de amigos que decidem aparecer, de surpresa. E, no tempo que resta, repartir o mesmo espaço e o mesmo ar, todos os dias - quando fomos de férias a implicar com o seu perfume ou com a forma como a pessoa que está connosco não ajuda e só desarruma - traz pequenos “escaldões” ao nosso coração. Sem “factores de protecção” e sem sombras frescas que nos valham.

Ir de férias com uma relação por resolver não são bem férias. É vestir de forma despreocupada e andar de havaianas. Mas agir de forma tensa e com salamaleques. Quase todos os dias.

Para ler esta crónica na íntegra, por favor, clique na imagem

subscreva