Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso website. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa política de cookies.
É fixe haver pais assim!
da série: a vida em estado de sítio, 1

Hoje, eu quero dedicar este texto a todos os pais que estão a ser pais, neste momento. E que, por causa do coronavírus, são impedidos de participar em todo o esforço - solitário e inacreditável - das suas mulheres no trabalho de parto dos seus filhos.

E a todos os pais que, estando num estado de alarme que não disfarçam, fazem de conta que são uns guerreiros invencíveis e que nem pestanejam. E disfarçam - mais, ainda - quando fazem só de pais e guardam e escondem o quanto se sentem pequeninos diante da calamidade que a Humanidade está a viver. E pela conjuntura da economia que os irá atropelar. E pela absoluta incapacidade de adivinhar o dia de todos, depois de amanhã. E a todos aqueles que dão a entender que nada ameaça a capacidade de contar histórias com que estão a descobrir, e a forma como estão a aprender a ver desenhos animados com as crianças, debaixo de uma manta. E que fazem um esforço heróico para serem uma força tranquila. Por mais que tenham medo. Muito; muito medo!

Hoje, quero, também, dedicar este texto aos pais que, estando presos nas suas preocupações, colocam os seus arrufos de parte, todos os dias. E cuidam e protegem. E animam. E mimam. E dão colo. E fazem das suas fraquezas um guindaste que chega até ao céu. E que a todos ajuda.

Hoje, eu quero dedicar este texto a todos os pais! Aos pais que resistem. Aqueles que não soçobram. Aos pais que sonham e àqueles que acreditam. Aos pais discretos. E aos pais envergonhados. Aos pais que fazem de contam que são uns “durões” só porque não deixam de ser uns assustados. Aos pais trapalhões; que não sabem nem pedir colo nem dizer: Gosto de ti!”. E aos pais que choram, escondidos e em silêncio. Mas, sobretudo, aos pais que se levantam todos os dias para se porem em perigo, para nos salvar! Não pensando nas consequências dos seus gestos. E que se movem, unicamente, pela força com que acreditam que é com os seus exemplos de bondade que se vence todo o mal! E a todos os outros que, da mesma forma bondosa, fazem de todos os dias um Dia do Pai! É fixe haver pais assim!!!

subscreva